quarta-feira, 11 de novembro de 2009

O DESERTO NÃO É O SEU LUGAR

“Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros” 1 Pe 2:11ª
Observe este texto, o escritor adverte aqueles para os quais ele escreveu e manifesta seu sentimento em relação àquele povo, seu apreço e cuidado, mas atente a expressão “peregrinos e forasteiros”. Esta expressão não deve ser levada ao pé da letra, pois é uma figura de linguagem que o escritor usa para falar da nossa verdadeira identidade como cidadãos do céu e não da terra, mas podemos entender também esta colocação à partir da experiência vivida pelo povo de Israel quando saíram do cativeiro egípcio. O destino do povo de Israel era Canaã, mas para chegar até lá foi necessário que passassem pelo deserto. Embora tenham vivido 40 anos no deserto, aquele não era o seu destino, nem a sua morada, era apenas um lugar de peregrinação. A Bíblia nos ensina que o caminho para Canaã poderia ser percorrido em poucos dias, mas o pecado e a desobediência do próprio povo de Israel prolongou os dias da sua peregrinação e fez com que muitos morressem sem entrar na terra prometida. Apenas Josué e Calebe alcançaram o tão sonhado destino, os demais pereceram sem viver as promessas, fizeram do deserto sua moradia, quando na verdade deveria ser apenas uma caminho a ser percorrido. Assim como o povo de Israel somos peregrinos. Podemos chamar de deserto as situações adversas, lutas, provações e tempestades da vida que muitas vezes atribuímos ao inimigo, mas que sempre são instrumentos usados por Deus para nos ensinar algo. Na vida de um homem ou mulher de Deus, de tempos em tempos haverão desertos para serem superados, e sabemos que no deserto o calor é mais quente e o frio é mais devastador, por isso devemos estar preparados. É inevitável no decorrer de nossas vidas que tenhamos que enfrenta-lo, mas o que precisamos compreender é que Deus permite o deserto, para que por um tempo sejamos treinados e depois livres. O deserto não é nosso lugar de habitação, pois nossa vitória está em Canaã, na terra prometida, no lugar onde as promessas se cumprem. O maior erro que podemos cometer é, por desobediência, incredulidade ou dureza de coração decidirmos ficar no deserto mais tempo do que necessário ou mesmo nos acostumarmos tanto com o sofrimento ao ponto de nos conformarmos em viver no deserto. O deserto não é o nosso lugar, por isso não devemos fazer dele nossa habitação. Somos peregrinos e forasteiros, passamos pelo deserto, mas não permanecemos nele nenhum minuto além do necessário. Olhe para sua vida agora mesmo e observe onde você está? Permanecer no deserto é fruto de escolha e livre arbítrio. Deus não nos criou para vivermos atribulados e angustiados. Embora não possamos evitar tribulações e angustias esse não é o nosso destino final. Se passamos por momentos difíceis o passo seguinte é superá-los. Quanto tempo faz que você está no deserto? Já não está na hora de entrar na Terra Prometida? Deus não mudou, Ele ainda cumpre suas promessas de vida, paz e abundancia na vida daquele que crê vive em obediência. Não permita que suas escolhas prolonguem sua estadia no deserto, Deus te quer livre e feliz. Decida hoje sair do deserto e possuir sua herança em Deus.

Um comentário:

  1. Graça e paz!
    “Andando” por aí cheguei até o seu Blog e quero te parabenizar pela bênção que pude ver aqui.
    Já estou te seguindo e será uma honra te receber no pastoragente.blogspot.com.
    Se quiser segui-lo vai ser uma alegria pra mim.
    No blog conto da forma mais realista e divertida possível as realidades, dúvidas e experiências de uma simples pastora como eu.
    Fique na paz. Um abraço.

    ResponderExcluir